domingo, 31 de agosto de 2014

O NOSSO BEIJO...



O NOSSO BEIJO…

Dizer o quê, a esta folha branca que séria me olha
Se admira com o meu semblante?
Olho-a, admiro-a, sei que lhe quero falar
Contar segredos, mágoas que me atormentam
Mas não sei como começar.

Branca, alva e pura,
Espera que a preencha de ternura
Mas como, se estou carente?
Se estou mais precisada de tudo que sempre?

Precisava sentir teus beijos na minha boca dormente
Adormecida, esquecida, por tudo que lhe sucedeu
Coisas que o vento me trouxe, que eu não queria
Mas teimosamente me ofereceu

Boca seca, dormente, boca carente, que nada sente
Queria sentir nos meus lábios os lábios teus
Húmidos, macios, desejosos dos meus
Tanto como os meus dos teus
Mas por desígnios estranhos sei nada mais será como antes
Sei bem, que neles algo morreu

E de repente olho a folha branca
E noto que por tanto me olhar
Sentindo o meu pesar
Escureceu...

Inês Maomé
25/08/ 2014






quarta-feira, 27 de agosto de 2014

ESPERO....O TEU ENCANTO



ESPERO

Num canto,
Feito concha de abrigo
Nesta casa nua e vazia
Que me atormenta e atrofia
Muda, habito

E vejo que a cada instante
A cada segundo, tudo se repete
Uma agonia lenta
Que rejeito
Que me impede de andar para a frente
Mas resignada aceito e suporto

Sou uma múmia,
Vivo paralisada
Atenta a qualquer chamada
Com vontades que em mim nascem
Crescem até que desvanecem
Inquieta-me esta espera
Porque nada me vem, nada pressinto
E dolente e inerte,
Fico quieta.

Deus, guarda o meu espirito
Sou como formiga morta, que nada vale,
Depressa desaparece
Coisa mínima,
Insignificante e reles
Que a nada e ninguém faz falta
Sou o que pareço.
A esperança na espera

Insistindo, neste silêncio amorfo
Estagnada fico
Com entusiasmo na mudança
Atenta aguardo
Temendo que nenhum apelo
Chegue à minha mente
Grite ao meu coração o caminho certo
O meu trilho a percorrer

Espero, na confiança de algo suceder
Quase desespero, e no limite choro….
Porque esperar assim, esmaga e dói
Desalenta, faz-me doer inteira
De uma dor que corrói e queima
Todas as células do corpo
Quanto desespero o meu
Saber de tantos caminhos e não ver qual percorrer…

 Inês Maomé
 27/08/2014
 


O TEU ENCANTO

Não há dia ou noite que não te lembre
Que não te chame
E em silêncio não devore com ternura imensa
O teu belo sorriso
Esse teu encanto estranho

Clamo por ti,
Cuidei-te, és meu
Mas não me pertences
Devias estar comigo desde que te conheço
Mas não estás e como o lamento
Hoje ao contrário de ontem,
És um homem do mundo
Valente e destemido,
Fazendo o que mais cobiças

És de toda a gente que te conhece
Que olha nos teus olhos e neles se prende
Feiticeiro de amores,
Olhos negros, tristonhos, doces que não mentem
Mas enfeitiçam e a todas encantam
Me cativaram desde que te conheci

Ai se eu fosse de outro tempo
Ai se o vento soprasse a meu favor
Levasse de mim a idade do tempo
As nossas diferenças
Eu, tua quase mãe, tu meu cristal valioso
Minha jóia de oiro e diamantes,
Prata pura adornada de esmeraldas e rubis
Meu bem precioso, meu grande afecto
O maior bem que me faz sorrir

Bailar segura nos teus braços
E neles sonhar que sou feliz
Quanto desvario e loucura minha

Sonhar viver contigo, num mundo que não existe...

Inês Maomé
27/08/2014

Preciso CAMINHAR Contigo SENHOR



PRECISO CAMINHAR

Preciso caminhar e ter certeza de chegar
Tenho que lutar e ter a firmeza de vencer,
Preciso buscar a certeza de alcançar,
Tenho que saber esperar
Para Contigo Senhor, conseguir realizar
Os ideais do meu ser, segundo a Tua vontade.

Preciso dar o máximo de mim,
Para Contigo Senhor ser e a Ti inteira me entregar
Para Contigo viver intensamente a tua Morte, Paixão e Ressurreição
Que fizeram de mim tua filha imortal!
Bendito sejas Senhor Jesus,
Que na Cruz morreste para nos dar a vida
E em Ti, para sempre unidos pelo amor,
Termos vida e a vivermos em abundância.

Quero ser tua peregrina
Quero louvar-Te acordada
Sonhar Contigo quando durmo
Tu, que morreste por mim, és o meu consolo
Junto de Ti nada temerei
Contigo em mim, tudo alcançarei
Sei que me indicarás o caminho da paz, da verdade e da luz
Em cada dia, todos os dias da minha vida.

Louvado sejas Senhor, Tu que fazes maravilhas
Louvado sejas Senhor, Tu, Deus em Jesus, a quem nada é impossível!
Tu que morreste e Ressuscitaste ao Terceiro dia!
Bendito sejas, Senhor!


Inês Maomé
18/05/2014






OBRIGADA SENHOR



OBRIGADA SENHOR

Hoje talvez
Como ontem
Mais uma vez eu vou chorar
Também sorrir
E vou reflectir…e como sempre pensar
Que nada sei do amanhã
Tudo o que sei
Tu me ensinaste Senhor
É que o Pai me quer
Que Ele me ampara
Me abraça e ama
Deseja que eu ria
Que não desista de nada na vida
E no que me agradar
Seja feliz
Feliz intensamente e em cada dia

Obrigada Senhor
Pela sombra que me abriga
Pela brisa amiga
Pela água fresca que na fonte corre
Ligeira a cantar
Me mata a sede de beijos
Me lava o corpo de ensejos
Obrigada pelo verde das florestas
Pelos campos floridos
Vestidos de festa
Flores perfumadas, enfeitadas de cores diversas
Que saciam o meu olhar e o de outros pensantes
Pelo mar que murmura Teu nome a rezar
Pelo sol que me aquece
Quando a dor me consome
E olhando para Ti,
 Mesmo sofrendo, eu tudo louvo e Te canto

Inês Maomé





A LUZ DO TEU OLHAR



A LUZ DO TEU OLHAR

Na luz do teu olhar
Vive há muito preso o meu
Sedento da luz que vem do teu

Sufocada, solitária, quase cega,
Leva-me onde fores 
Ensina-me a sorrir

A ser feliz contigo
A sorrir como te sinto ser

Faz-me desprender de tudo, 
E eu verei nascer em ti o meu luar 
Lembras-te como sorriamos juntos

Quando era primavera
E o sol inundava os nossos corpos? 
Ele adornava de vida e cor o nosso amor
Tudo parecia diferente, tinha mais brilho

Outra cor 

Mostra-me tudo de novo
Vês como estou pálida?
Sem ti esmoreço, 
Sem a luz e o sorriso do teu olhar
Murcharei de dor,

Perderei fulgor 
A cor e a força divina que um dia me deste 
Fizeste ser minha e eram a minha vida

Ensina-me a sorrir
Vem ser feliz comigo cada dia
Só desta vez 
Ou para sempre

Vem-me abraçar
Vem-me amar

Com a luz que sai do teu olhar…

Inês Maomé
06/07/2014





AMOR EM PALAVRAS



AMOR EM PALAVRAS

Amor em palavras escritas 
São fuga
A cura de um amor louco

Que não me chega
Que tarda e se arrasta
Que para mim 
Do amor dizem sempre pouco...

Amor perdido, estouvado
Lindo mas insensato 
Frágil e tonto

O de todos os amantes
Mais fácil que escrevê-lo 
É senti-lo 
Vivê-lo intenso
Tal como o sinto vivo em mim hoje e para sempre.

Só quem ama o sente  
Sabe e pressente 
Chora, sofre, sorri, percebe e consente 
Que o amor dito em palavras escritas

É pouco
É um grito louco
É doido, um lamento incompleto 
Triste e desfeito
Sem encanto
Ou será magia 
Mas vazio e oco de tão pouco…


Inês Maomé
05/08/2014






NÓS




NÓS

Há muito que somos um
A vida uniu-nos e assim ficámos 
Sofrendo e amando 
Perdendo e ganhando
Tendo ou não tendo 
Mas unidos

Caminhamos lado a lado 
Como se fossemos um laço dado

Unido, colado, 
Esculpido em pedra 
Em ferro cinzelado
E assim vivemos grudados

Momentos de choro 
Do riso a brandura
Quietude no teu olhar
Que ensina ao meu a doçura

De segredos por desvendar
Não somos iguais,
Nunca o fomos ou seremos
Mas somos uma força coesa
Que nos basta para caminhar
Eu, segura a ti por um raio de luz 
Brilhante, sem fim
Tu, algures, preso no meu olhar
Segurando-te nele, dando-me paz


Depois que abalas 
Espero sempre que chegues 
Par me dar força para continuar


Foi sempre assim 
E sempre assim será 
Desde que somos um par
Porque o que sentimos
Não é amor nem paixão
Não é um sentimento vão
Nada que se descreva
É algo nosso,

Único
Intimo e muito forte
Somos dois num só
Na vida, um par uno

Crescendo cada dia devagar

Inês Maomé --------- 
04/08/2014


POEMA DOCE



POEMA DOCE


Demos um laço 
Um nó tão coeso 
Que nada
Ninguém pode desatar
Nem as forças do universo poderão abalar
Deus que conhece a nossa vida
Que sabe do nosso ser e nosso estar
Dá-nos força e a Sua mão Divina 
Faz de nós um poema doce
Uma história de vida diferente
Incomum
Uma canção de amor
Uma terna balada que nos alimenta
E enche o nosso coração de luz

Inês Maomé
05/08/2104





quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Amor em palavras



AMOR EM PALAVRAS


Amor em palavras escritas 
São fuga
A cura de um amor louco

Que não chega

Que tarda e se arrasta
Que para mim 
Do amor me dizem pouco...

Amor perdido, estouvado
Lindo e insensato 
Frágil e tonto

O de todos os amantes
Mais fácil que escrevê-lo 

É senti-lo 
Vivê-lo intenso
Tal como o sinto hoje e para sempre.

Só quem ama o sente  

Sabe e pressente 
Chora, sofre, sorri, percebe e consente 
Que o amor dito em palavras escritas,

É pouco

É um grito
É doido, um lamento incompleto 
Triste e desfeito
Sem encanto
Ou será magia 
Mas vazio e oco de tão pouco…


Inês Maomé
05/08/2014





Nós !



NÓS

Há muito que somos um
A vida uniu-nos e assim ficámos 
Sofrendo e amando 
Perdendo e ganhando
Tendo ou não tendo 
Mas unidos

Caminhamos lado a lado 
Como se fossemos um nó atado, 
Esculpido em pedra 
Em ferro cinzelado
Vivemos grudados

Momentos de choro 
Do riso a brandura
Quietude no teu olhar
Que ensina ao meu a doçura

De segredos por desvendar
Não somos iguais, nunca o seremos
Mas somos uma força coesa
Que nos basta para caminhar
Eu, segura a ti por um raio de luz 
Brilhante, sem fim
Tu, algures, preso no meu olhar
Segurando-te nele, dando-me paz

Depois que abalas 
Espero sempre que chegues 
E me dês força para continuar


Foi sempre assim 
E sempre assim será 
Desde que somos um par
Porque o que sentimos
Não é amor nem paixão
Não é um sentimento vão
Nada que se descreva
É algo nosso,

Único
Intimo e muito forte


Somos dois num só
Na vida, um par uno

Crescendo devagar


Inês Maomé      

04/08/2014

Poema doce !



POEMA DOCE


Demos um laço 
Um nó tão coeso 
Que nada, ninguém pode desatar
Nem as forças do universo poderão abalar
Deus que conhece a nossa vida
Que sabe do nosso ser e estar
Dá-nos força e a Sua mão 
Faz de nós um poema doce
Uma história de vida diferente

Incomum
Uma canção de amor
Uma terna balada que alimenta o nosso coração


Inês Maomé
05/08/2104